sexta-feira, 6 de abril de 2012

Ao meu amado que ainda não chegou

Texto escrito em 27 de Maio de 2009



Sei que ainda não nos conhecemos de verdade, mas que bom que você existe pra mim. Talvez já tenhamos nos esbarrado por aí...Talvez tenhamos assistido ao mesmo filme, enfrentado a mesma fila, almoçado no mesmo restaurante, escolhido a mesma praia, comprado o mesmo cd, escolhido os mesmos amigos. Ou talvez não. Mas se é você, o meu futuro amor, um dia nos [re]encontraremos pra valer e, nos reconheceremos! Não tenho duvida. Porém sinto lhe informar: não viveremos em um conto de fadas daí pra frente – pelo menos, não 100% do tempo. Sou cheia de defeitos: Pra começar, terá que se acostumar com meu jeans, minha regata, minha rasteira, meu cabelo não escovado e meu rosto sem maquiagem. Apesar de gostar, não sei cozinhar (mas lavo prato que é uma beleza, viu?). Sou carente; e minha necessidade por carinho cresce quando em TPM. Sou desorganizada; não consigo manter a ordem em meu quarto: meus livros estão na prateleira que seria das fotografias, os ursos estão no armário que seria dos livros e as fotos onde ficariam os ursos. Odeio rotina; por isso vivo mudando as coisas de lugar e uma vez ou outra sinto necessidade de fazer algo diferente. Sinto vergonha de olhar nos olhos; e não me pergunte o motivo. Falo o que eu penso, converso sobre tudo e em qualquer momento; por isso seja franco comigo, não fale por enigmas, não me esconda nada... detesto silêncio e segredos. Odeio regras! Saiba aproveitar a confiança que depositarei em ti, por favor. Sentirei ciúmes, uma vez ou outra, mas te falarei somente quando algo me incomodar de verdade. Não dou ouvido para opiniões alheias; e fico irritada quando querem meter o bedelho em minha vida particular; por isso peço que evite falar de nós para terceiros. Tenho muitos amigos; (e acredite ou não, são só amigos) isso te fará sentir ciúmes às vezes, peço que seja sincero, converse comigo quando algo te magoar... creio que chegaremos a um entendimento e o fato não se repetirá. Por último, preciso te falar que meu coração - apesar de inteiro - possui marcas de um passado triste. Está repleto de cicatrizes, de palavras não ditas e de lágrimas acumuladas. Devido a isso, será difícil eu confiar em você a ponto de me entregar por inteira, assim de cara. Tenha paciência. Saiba entender. Tenho medo de sofrer de novo, prefiro ir com calma. Espere e me colha madura. Só pra ti.
No mais, existem outros defeitos e algumas, poucas, virtudes escondidas também. Mas essas, deixo que você descubra sozinho.
Terá tempo, teremos tempo! Todo o tempo do mundo...

Deixo aqui, meu beijo.
(O primeiro beijo, e mais tímido, dos tantos outros, menos tímidos que ainda te darei)
Sua amada, que ainda não chegou também.

Me deliciei ao reler esse texto, garanto que nesses quase 3 anos que passaram eu não mudei nada, só o fato de maquiagens ser o meu atual vicio. E, ter a certeza que esse meu amado já chegou, ou chegará.


5 comentários:

Michele disse...

Bárbara

Identifiquei-me tremendamente com o texto! Tbm detesto que se metam na minha vida, odeio rotina e e vivo mudando as coisas de lugar. A única diferença é que eu gosto das coisas organizadas.
:)

Foi uma delícia te ler e perceber que não sou tão anormal quanto pensava... risos

UM ABRAÇO

Martinha disse...

Que texto lindo! Vi muito de mim em imensas palavras. :)

Tamara Furlan disse...

Adorei o texto e a forma como se despediu, foi tao doce e encantadora...

Andressa Tavares. disse...

Já chegou, tenho certeza!

'Francielly Lopes disse...

Ownti que tão liindo. Que tão verdadeeiro ameei *-*

beijo