sábado, 14 de abril de 2012

..."eu as vezes tenho a sensação de que estou procurando às cegas uma coisa; eu quero continuar, eu me sinto obrigada a continuar. Sinto até uma certa coragem de fazê-lo. O meu temor é de que seja tudo muito novo pra mim, que eu talvez possa encontrar o que eu não quero. Essa coragem eu teria, mas o preço é muito alto, o preço é muito caro, e eu estou cansada. Sempre paguei e de repente não quero mais. Sinto que tenho que ir para um lado ou para o outro. Ou para uma desistencia: levar uma vida mais humilde de espirito, ou então não sei em que ramo a desistencia, não sei em que lugar encontra a tarefa, a docura, a coisa. Estou viciada em viver nessa extrema intensidade. A hora de escrever é o reflexo de uma situação toda minha. É quando sinto o maior do desamparo."

(C. Lispector)

3 comentários:

Gabriela Freitas disse...

Sou fã da Clarice por textos assim!
Adorei a escolha Babs.
Estou fazendo cursinho e escola, não sei se já lhe disse, mas ando super sem tempo para visitar esses cantinhos que eu tanto gosto, me desculpe. ):

Caroline disse...

Eu nunca entendi tão bem Clarice como nesse texto. Que bonito, que tenso também.
Achar um caminho parece a ultima coisa a acontecer, um porre.

Wanessa Guimarães disse...

Olá,
Parabéns pelo blog! Estou seguindo.
Segue lá também..

http://www.estanteseletiva.com/