quarta-feira, 28 de março de 2012

Da chuva que não passa.

Vamo passear? Eu sei que tá nublado. Mas, assim é melhor porque não faz calor. Andar com o sol a pino é que é de matar...
 Não, não vou levar guarda-chuva.
 Não gosto de guarda-chuva.
 Se chover?
Se chover a gente se molha ou corre pra baixo de alguma marquise e fica lá até passar. Rindo por estar na rua no meio de um temporal. Rindo das outras pessoas que estão na rua no meio de um temporal. Talvez, alguém olhe pra gente com ar de reprovação. Talvez, alguém olhe pra gente com ar de cumplicidade. E a gente vai rir mais ainda. Rir até cansar. Depois, vai sentir uma certa nostalgia pela cidade pintada de cinza. E suspirar. Aí, vou pegar na sua mão. Encostar o meu lado esquerdo, no seu lado direito. Sentir a sua pele quente e vontade de abraço.
Abraço.
 Vou deitar no seu peito e fechar os olhos. Você vai descansar o queixo sobre a minha cabeça e resmungar. É, você sempre resmunga, tá vendo? E eu sempre pergunto porquê, mesmo quando sei a resposta. Gosto quando você me explica. Qualquer coisa. Você fala com calma, mesmo quando não aguenta mais. Tentando me provar, por A + B, que é o dono da razão e eu, uma louca inconsequente.              Sim, sim, voltando ao passeio... É, tenho que parar com essa mania de mudar de assunto assim de repente. Mas, é que agora não tô com vontade de passear mais não. Vem cá, me da um xero. Tá nublado, né? Acho que vai chover. Melhor nem sair da cama...

4 comentários:

Michele disse...

Bárbara

Que delícia de texto. Quando a gente está ao lado de quem amamos, até fazer nada é gostoso. :)

Um beijo

Caroline disse...

Que bonito, Bárbara!!!!

Andressa Tavares. disse...

que delicia ein?
ficar perto de quem a gente ama desse jeito, é bom demais!

Arianne Carla disse...

Concordo com Michelle, até fazer nada com quem ama é gostoso! Gostei demais do seu texto, Bárbara. *-*
Seguindo