sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Só que aí eu acabei mudando. E foi mudança aos poucos, porque até hoje me dou conta de coisas minhas que já não estão mais lá e, quem roubou, eu jamais vou saber. O sorriso mudou e a vontade de sorrir pra qualquer pessoa também, graças a Deus. Foi por sorrir tanto de graça que eu paguei tão caro por todas as coisas que me aconteceram. Às vezes me pego olhando ao meu redor e vendo tanta menina parecida comigo. Tanto sentimento gritando de bocas caladas e escorrendo de peles secas. Tanta coisa acontece com a gente. Tanta gente passa pela gente, mas tão pouca gente realmente fica. E eu sei que, talvez, eu tivesse que ficar triste. Talvez eu tivesse que continuar secando lágrimas, abraçando o vento e rindo no vácuo, mas o fato é que eu não consigo. Eu não consigo mais ser triste só para mostrar que um dia eu fui - ou achei que tivesse sido - feliz. Aprendi com os meus próprios erros que sofrer não torna mais poético, chorar não deixa mais aliviado e implorar não traz ninguém de volta. Aprendi também que por mais que você queria muito alguém, ninguém vale tanto a pena a ponto de você deixar de se querer. Eu que gritei para tantas pessoas ficarem, hoje só quero mesmo é que elas sumam de uma vez por todas. E em silêncio, que é pra ninguém ter porque se lamentar.

 

tati b.

5 comentários:

Michele P. disse...

Não compactuo com a ideia de deixar de sorrir, mas estou totalmente de acordo com o "não se deixar afetar pelas partidas".

Texto lindo.
Obrigado por compartilhar.
Bjs

Martinha disse...

Tão certo esse texto. :)

Andressa. disse...

"Foi por sorrir tanto de graça que eu paguei tão caro por todas as coisas que me aconteceram."

tati b. 1x0 andressa t.

É UM FATO.

Luna Sanchez disse...

Ser seletiva não é ruim, não é mesmo.

Beijos, flor.

'Lara Mello disse...

Isso se chama amadurecimento e eé bom ter ver assim, crescendo diante dos emus olhos =**