quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Ele é O CARA



Ele é um cara. Lindo. Tudo. Te faz rir. Te faz sentir coisas que nenhum outro fez. Ele é diferente dos outros. Os outros foram caras que não deram certo. Você se perdeu deles ou eles de você, isso não vem ao caso agora. Mas ele é um cara especial. E lindo. E tudo. E te faz rir. Ok, já ficou claro que ele NÃO é um cara qualquer. É aquele cara.
Você comenta com a amiga mais próxima as qualidades do indivíduo. Também fala que ele já pisou na bola, te deixou triste e já te fez chorar. A amiga diz pra você ser indiferente, coração gelado, fazer tipo, dar gelinho, não levar tão a sério, jogar e usar o seu poder de sedução. E você está cansada, farta disso. Você não sabe ser indiferente, só sabe sentir. Não tem (e nunca terá!) o coração gelado, ele é quente pra cacete! Odeia fazer tipo, é do tipo que se joga mesmo. Dar gelinho? Pra quê? Pura perda de energia. Não levar tão a sério? Você leva tudo a sério, absolutamente tudo que envolva o seu sentimento. Jogar? Você ainda não aprendeu. E nem sabe se quer. Poder de sedução? Você nem sabe se tem (ou finge que não sabe).
E aí você se vê absurdamente incompreendida, tremendamente sem rumo e numa constante interrogação. Muitos caras já passaram pela sua vida. Foram ótimos e péssimos. Calhordas e gentis. Bonzinhos e crápulas. Salafrários e meigos. Amáveis e canalhas. Você conhece (ou supõe que conhece) todos os tipos de homens. É craque. Ninja. Super conhecedora do universo (e pensamento) masculino.
Mas agora você se vê num beco sem saída, pois se deparou com o cara-tudo. Tudo-a-ver-com-você. E você simplesmente não sabe mais o que fazer.


E daí que ele pisa na bola? Ninguém é perfeito. E daí que ele te faz sofrer? Não foi a intenção dele. E daí que ele te fez chorar? Não foi de propósito.
Você tem certeza? Quem gosta não faz sofrer. Isso é lindo no cinema e em fala de atrizes das novelas da Globo. A vida real não é assim. Será que sua amiga tem razão e ele não passa de mais um filho da puta? Você conhece muitos, ele seria mais um na sua lista. Mas você não se conforma. Ele não é assim. Ele foi feito pra você.
Não acredite em tudo que dizem. Sua amiga mais próxima pode ser sua melhor amiga, mas ela não é você. Não sente como você e, por mais que saiba da sua vida, não vai conseguir separar o carinho que tem por você do que realmente acontece aí dentro. Mesmo que você queira explicar nos mínimos detalhes (para os outros, para o mundo e até mesmo para ele)...ninguém entenderá, pois só você sabe o que se passa em seu coração e cabeça.


E o cara? Realmente pode ser o cara-tudo. O cara que caiu do céu diretamente para você. Ou apenas mais um cara. E nada mais.


Lembre-se: você existia, existe e existirá com ou sem ele. Ele é só um cara. Ou o SEU cara. Observe. E depois me conte.


9 comentários:

Paolla Bensuaski disse...

Oii.. vim me desculpar pela ausência, e pelos textos no meu blog que andam meio parados!.. aconteceram algumas coisas na minha vida e não fazem muito tempo!..

prometo que assim que tudo ficar bem.. que eu voltar a ter tempo, as coisas no incriveissonhos vão voltar ao normal ;)

beeeeeeijo

Mundo da Sophia disse...

E vale arriscar, pois ele pode ser O CARA e mesmo se não for, você vai continuar viva, seguindo em frente e tentando encontrar O CARA.

Beijos

Luna Sanchez disse...

Ele é o cara.

Rá!

=D

Beijo, flor.

Carol Fernandes disse...

me identifiquei bastante, e está lindo. adoro aqui! um cheiro

Gabriela Freitas disse...

acho que era só um cara...

'Lara Mello disse...

Eu já encontrei meu CARA! Ele não é perfeito, não é um príncipe, mas é meu e até hoje tem valido a pena, logo logo é sua hora!

Michele P. disse...

Ás vezes "O cara" nem é assim tão espécie rara, mas nos faz feliz e isso é o que importa.
Gostei do teu jeito de escrever.
A leitura flui bem.

:)

Um abraço

Reste plus une seconde... disse...

O cara será aquele que se encaixa como o reflexo exato e perfeito do que a garota quer encontrar. Não existe cara nem garota, existe o encontro perfeito de dois imperfeitos que se completam, que se preferem, que se amam, que se perdoam, que crescem juntos à medida que o relacionamento cresce.
Muitos caras e garotas que são péssimos para meio mundo, transformam-se quando encontram seu reflexo, e passam a ser os mais especiais do universo. Freud não explica - só o amor consegue isso.
Um abraço carinhoso
Leo

Natália Rocha disse...

Nossa, flor, daqueles textos que a gente começa e não consegue para de ler porque se identifica, se vê, se observa.

As vezes ele tem pra ser o cara, mas prefere ser apenas mais um cara... daqueles que deixam um pouquinho de dor no caminho da gente.

um beeijo*